26 dezembro 2014

2º Aniversário das Teorias!

 Imagine-se só que as Teorias celebraram 2 anos (no passado dia 21) e eu só me lembrei 2 dias depois... E como se isso não bastasse, demorei mais 3 dias a escrever este artigo.

 2 anos... Como o tempo passa a correr... Destes 24 meses, 12 deles foram ricos em postagens, e outros 12 apenas com ligeiras aparições da minha parte nesta blogosfera. Ironicamente, o ano mais pobre em teorias foi o ano em que tive mais tempo disponível para as escrever. Pelo menos até ao passado mês de Setembro.

 Nestes ultimos 4 meses tenho tido uma coisita que me tem mantido bastante ocupado. Um pequeno passatempo a que chamo faculdade... É também de destacar, Leitor, para a sua própria segurança, outro evento importante: a minha habilitação legal para circular na via publica conduzindo um veículo motorizado. Em linguagem de pessoas normais: Carta de Condução.

 Como vê, Leitor, a diarreia mental deste individuo que lhe escreve tem sido ultimamente escoada para o ambiente académico e para as estradas portuguesas, deixando para trás a World Wide Web.


 Tal como eu disse no artigo de celebração do 1º aniversario, o blogue não se tornou nada de grandioso, mas eu também não tinha espectativas que tal acontecesse.
 É óbvio que eu não esperava que um arraial de idiotices se tornasse viral, mas também mentiria se dissesse que o tempo que gastei a escrever estes textos serviu apenas para fazer cócegas no meu teclado.

 O facto é que eu teria dedicado muito mais tempo a novas teorias se algo me incentivasse, se visse que havia algum fluxo de tráfego a visitar o blogue. Como tal não aconteceu, os artigos tornaram-se uma espécie em vias de extinção, porque, convenhamos, escrever para o boneco não é um passatempo muito entusiasmante.

 No entanto, um dos meus objectivos ao começar este blogue foi cumprido: deixei a minha pegada na blogosfera. Agora se essa pegada se manterá assim fossilizada ou se continuará a crescer é algo a que não sei responder...

19 julho 2014

Sebastianismo Mundialesco

 Neste Mundial
Portugal Entrou
Portugal Espectou
Portugal Perdeu
Portugal Saiu

 E este foi, mais uma vez, o fim da esperança que todo o país depositou num grupo de 23 jogadores. "Vão! Mostrem ao mundo quem Portugal realmente é!".
 A honra do país deixou, momentaneamente, de estar dependente de FMI's, agências de rating e outros que tais, ficando submetida apenas à prestação da Selecção Nacional num campeonato de futebol.
 "Há 5 séculos atrás os Portugueses conquistaram o Brasil. 500 anos depois voltarão a fazê-lo...".
 Inexplicavelmente, é durante estes eventos desportivos de grande escala que os portugueses se tornam mais patriotas. Como se a vitória da Selecção fosse o regresso do tão esperado D. Sebastião.


 No entanto, esta foi uma vaga de nevoeiro que não trouxe nada de bom. Talvez tenha dificultado a visão a alguns jogadores, fazendo com que um ou outro tenha inadvertidamente embatido contra a cabeça de certo e determinado adversário. A neblina pode até ter provocado aquelas "dores de cruzes" características do tempo húmido, causando lesões aos futebolistas. Mas esperança foi coisa que não se avistou... 

27 junho 2014

Chico-Espertismo


 Foi no passado dia 10 de Maio, enquanto via o Jornal das 8, que uma notícia fez desviar para a minha traqueia a trajectória da sopa que tinha acabado de pôr à boca , pondo isso em risco a minha capacidade respiratória, o que culminou num reflexo involuntário de expiração intensa que lhe permitiu retomar o meu esófago.
 Traduzindo isto em linguagem de pessoas sem qualquer tipo de perturbação mental: Engasguei-me ao ver uma notícia.

 O Leitor questiona-se, então, que malfadada notícia terá sido essa. O anúncio de uma nova subida na taxa de desemprego? O facto de as autoridades ainda não terem encontrado o "Assassino da Pesqueira" ao fim de tantos dias?
 Nada disso. A frase proferida pelo jornalista Pedro Pinto que quase me foi fatal foi a seguinte:

"Jerónimo de Sousa acusa o PS de Chico Espertismo"


 A razão para o meu engasgo nada tem a ver com a acusação propriamente dita nem com o facto de ter sido Jerónimo de Sousa a proferi-la. Confesso até que só hoje, ao rever a notícia, soube que tinha sido ele a dizê-lo.
 A causa da obstrução da minha garganta foi apenas a expressão "chico espertismo".

 Dito assim, "chico-espertismo" parece algum tipo de ideologia política. Quem sabe, até poderá surgir um novo partido político com esta designação.

 Mas atenção, Leitor, se estiver com ideias de utilizar esta expressão para, por exemplo, dar nome ao seu blogue, lamento informá-lo de que esta já está usada. Sugiro que opte antes por "bicho carpinteirice" ou "carapau de corridismo".

 (Esta teoria devia ter sido publicada a 11 de Maio)