21 dezembro 2015

E já lá vão 3 anos!

 "Tudo começa com um pequeno blog...".
 Esta foi a primeira frase que aqui escrevi, faz hoje 3 anos. De facto, tudo começou com um pequeno blog, mas também continuou sendo um pequeno blog.

 Vejamos os factos: desde o ultimo aniversário, 4 entradas foram escritas. Apenas e só quatro... A ultima data do mês de Julho e nem sequer é nada de jeito (tal como as restantes 46).
 Um facto interessante é que também no ano passado a ultima publicação antes da do aniversário tinha sido em Julho. Se seguirmos a mesma lógica, a minha próxima teoria dará entrada em... Maio.

 Não é que eu me esqueça do blogue. Costumo, inclusive, verificar a evolução das visitas com bastante frequência. O que me falta é mesmo o tempo e a dedicação para escrever.

 O dia do aniversário, no entanto, nunca me passa ao lado (excepto no ano passado). Por ser próximo do Natal, costumo lembrar-me deste dia quando o clima natalício aparece. Para além disso, recordo que este era o dia em que, há 3 anos atrás, o mundo deveria ter acabado.



 Tal como disse no ano passado (no post do 2º aniversário), sou estudante a tempo inteiro de uma área que me dá pano para mangas (e que por vezes até chega para fazer umas calças). E mais uma vez refiro, à semelhança do que disse nos posts do e aniversários, que o blogue não evoluiu para nada de significativo. 

 O que não falta são blogues por essa Internet fora com palermices e barbaridades de muito melhor qualidade que as minhas que, para além disso, são publicadas em muito maior quantidade. Será porque afinal o meu cérebro não está assim tão bolorento? Não.

 O blogue não cresceu, é um facto. 11660 visitas em 3 anos não é propriamente um sucesso. Mas a verdade é que a cada dia são criados milhares de novos blogues, pelo que as probabilidades não estavam do meu lado. A lógica não é difícil de entender: 

O blogue começa -> Bastante dedicação e entusiasmo da minha parte -> Grande quantidade de artigos publicados


 Porém...

Nº de visitas não reflecte o esforço dedicado -> Nº de artigos diminui -> Menos qualidade


 Para além de que...

Faculdade e menos tempo -> Dedicação tende para zero

 Para concluir, e sendo fiel àquilo que costumo dizer em aniversários: não, não vou afirmar a minha desistência. Este continuará a ser o meu cantinho na Web onde descarrego a minha parvoíce uma vez por outra (embora duvide que haja alguém desse lado a lê-las). Mas não faz mal. Este continua a ser um armazém digital de bandalheira. Se alguém para além de mim o costuma abrir não interessa.

  Quando escreverei novamente? Não sei. Mas hei-de continuar a teorizar...

15 julho 2015

4 Factos Parvos Acerca da Actualidade

 Dei-me conta recentemente que é impossível ignorar qualquer artigo na Internet que seja escrito em forma de lista.  O simples facto de ter um número dá logo uma vontade incontrolável de ler! Nem que o tema seja completamente desinteressante.

10 tipos de madeira usados para fazer secretárias
8 maneiras de fabricar interruptores de plástico

 Não interessa o conteúdo. Se é uma lista, clica-se! É quase um vício. Um impulso inevitável! Isto pode ser grave...

 Por vezes nem é preciso ler o título na íntegra.
7 razões para você...
CLICK!

5 coisas que...
CLICK!
 É o equivalente a um consumidor compulsivo no mundo da informática. 
 A diferença é que neste caso, em vez de um gasto excessivo de dinheiro, o único recurso dispendido é a memória do seu computador que é totalmente dizimada devido às dezenas de separadores abertos no navegador.

 Por esta razão, e com o objectivo de testar esta minha teoria, resolvi organizar uma listinha destas. O Leitor será uma cobaia nesta experiência social desenvolvida por mim.
 SIM, Leitor, deverá desempenhar o papel de ratinho de laboratório. (Destaco que deve ser a primeira vez no mundo da Internet que alguém chama "rato" aos seus leitores...)

11 julho 2015

Este blogue é, de facto, soberbo...

 Quem o diz é um estudo realizado pela APITBEVQ (Associação Portuguesa de Indivíduos que Têm Blogues e que Escrevem de Vez em Quando).

 No estudo constam dados recolhidos a uma população de duas pessoas, de ambos os géneros e de idades entre os 0 e os 116 anos, sendo uma elas um autor de um blogue que escolheu permanecer anónimo e a outra uma civil qualquer do sexo feminino sequestrada e obrigada a pronunciar a frase "A Teoria do Big Blog é a página da Internet mais interessante desde aquele site dos Filipinos".

 Eis alguns gráficos ao acaso para embelezar a coisa:

 Ainda restam dúvidas?

02 maio 2015

As Breves Notícias da Semana Teorizadas #2

 E depois da primeira edição (há quase 2 anos atrás), eis que faço renascer "As Breves Notícias da Semana Teorizadas"! [ler com voz de locutor de trailer].
 Sendo que continuo inspirado, deu-me na telha refazer uma coisa destas.



 Regressemos à voz de locutor: Esta semana, n'"As Notícias da Semana Teorizadas":
-Governo [chinês] acaba com strippers nos funerais
-Escola proíbe raparigas de correr para não perderem virgindade 
-Previsão meteorológica dá multa na China

 Ui... Que belo arraial de notícias parvas aí vem...

01 maio 2015

Sinto-me Inspirado

 Hoje acordei e lembrei-me deste pequeno T3 que tenho na World Wide Web. Cheguei aqui, abri a porta e veio-me logo o cheiro a mofo ("A BAFIO!"). Esta coisa de ter postagens antigas sem abrir as janelas de vez em quando dá nisto.
 Dei uma olhada (olhadela?) aos artigos mais antigos e confesso que senti alguma nostalgia ao folhear por estas sete páginas. Entretanto espirrei e o sentimento passou.

 Algumas das mensagens fazem-me lembrar o quão proto-esquizofrénico é era o meu cérebro. Outras cheiram só muito mal. Pensei em pegar nelas e mandá-las pela sanita, mas rapidamente me apercebi que embora sejam muito podres, são também boas recordações. São como que um bolor de estimação. Uma caca de colo. Uma poia adoptada. Um cocó com trela. Uma gosma com... Acho que me fiz entender.
 Para além disso, a sanita era capaz de entupir com tanta porcaria e não me apetece ter de cá chamar o canalizador.

 Voltar aqui fez-me sentir inspirado. Muito inspirado. Mas como só sustenho a respiração por menos de 26 segundos, depressa me senti expirado. Expirado também estava o prazo de validade de alguns artigos que aqui escrevi. Uma espécie de bolor de estimação. De caca de co... 'Pera lá, já fiz este trocadilho hoje, não já? Bem me parecia.

 Em suma: Talvez volte a escrever mais frequentemente. Ou então não...

26 dezembro 2014

2º Aniversário das Teorias!

 Imagine-se só que as Teorias celebraram 2 anos (no passado dia 21) e eu só me lembrei 2 dias depois... E como se isso não bastasse, demorei mais 3 dias a escrever este artigo.

 2 anos... Como o tempo passa a correr... Destes 24 meses, 12 deles foram ricos em postagens, e outros 12 apenas com ligeiras aparições da minha parte nesta blogosfera. Ironicamente, o ano mais pobre em teorias foi o ano em que tive mais tempo disponível para as escrever. Pelo menos até ao passado mês de Setembro.

 Nestes ultimos 4 meses tenho tido uma coisita que me tem mantido bastante ocupado. Um pequeno passatempo a que chamo faculdade... É também de destacar, Leitor, para a sua própria segurança, outro evento importante: a minha habilitação legal para circular na via publica conduzindo um veículo motorizado. Em linguagem de pessoas normais: Carta de Condução.

 Como vê, Leitor, a diarreia mental deste individuo que lhe escreve tem sido ultimamente escoada para o ambiente académico e para as estradas portuguesas, deixando para trás a World Wide Web.


 Tal como eu disse no artigo de celebração do 1º aniversario, o blogue não se tornou nada de grandioso, mas eu também não tinha espectativas que tal acontecesse.
 É óbvio que eu não esperava que um arraial de idiotices se tornasse viral, mas também mentiria se dissesse que o tempo que gastei a escrever estes textos serviu apenas para fazer cócegas no meu teclado.

 O facto é que eu teria dedicado muito mais tempo a novas teorias se algo me incentivasse, se visse que havia algum fluxo de tráfego a visitar o blogue. Como tal não aconteceu, os artigos tornaram-se uma espécie em vias de extinção, porque, convenhamos, escrever para o boneco não é um passatempo muito entusiasmante.

 No entanto, um dos meus objectivos ao começar este blogue foi cumprido: deixei a minha pegada na blogosfera. Agora se essa pegada se manterá assim fossilizada ou se continuará a crescer é algo a que não sei responder...

19 julho 2014

Sebastianismo Mundialesco

 Neste Mundial
Portugal Entrou
Portugal Espectou
Portugal Perdeu
Portugal Saiu

 E este foi, mais uma vez, o fim da esperança que todo o país depositou num grupo de 23 jogadores. "Vão! Mostrem ao mundo quem Portugal realmente é!".
 A honra do país deixou, momentaneamente, de estar dependente de FMI's, agências de rating e outros que tais, ficando submetida apenas à prestação da Selecção Nacional num campeonato de futebol.
 "Há 5 séculos atrás os Portugueses conquistaram o Brasil. 500 anos depois voltarão a fazê-lo...".
 Inexplicavelmente, é durante estes eventos desportivos de grande escala que os portugueses se tornam mais patriotas. Como se a vitória da Selecção fosse o regresso do tão esperado D. Sebastião.


 No entanto, esta foi uma vaga de nevoeiro que não trouxe nada de bom. Talvez tenha dificultado a visão a alguns jogadores, fazendo com que um ou outro tenha inadvertidamente embatido contra a cabeça de certo e determinado adversário. A neblina pode até ter provocado aquelas "dores de cruzes" características do tempo húmido, causando lesões aos futebolistas. Mas esperança foi coisa que não se avistou...